-->

29 de mar. de 2020

450 - O Homem Sanduíche (Er zi de da wan'ou)

Direção: Hou Hsiao-hsien, Tseng Chuang-Hsiang, Wan Jen
Ano: 1983
País: China

Filme-chave do novo cinema taiwanês, O homem sanduíche é um longa-metragem composto por três curtas, cada um dirigido por um diretor, baseados em contos de Huang Chun-Ming.


Assistir no VK: https://vk.com/video226562015_456239334

Mais detalhes sobre o filme:
https://filmow.com/o-homem-sanduiche-t74389/
https://www.imdb.com/title/tt0085503/

2 comentários :

  1. Amaury Silva Nogueira26 de abril de 2020 21:20

    Simplesmente amei!!! O cinema taiwanês é magnífico. Das três partes que compõem o filme acho que a minha preferida é a segunda. A peculiar relação entre o vendedor de panelas e a garotinha da vila me encantou bastante. E a atmosfera toda dessa parte, aquele clima bucólico, também. Já até baixei uma coletânea de contos do Huang Chun-ming, dentre os quais estão os contos que deram origem ao filme.

    ResponderExcluir
  2. acabei de ver... gostei, especialmente, pela 1a história... filme muito realista sobre as condições de vida (a lei da sobrevivência, num mundo capitalista; sujeito às mais variadas situações, por vezes, humilhantes), os dramas nas relações humanas (conjugais, pessoais etc e tais), as diferenças sociais (riqueza vs. pobreza), culturais (instruídos vs. analfabetos), econômicos (fartura vs. fome), no cenário da vida real, nua e crua, diante da eterna luta de classe... pode crer! pra constar, associando à boa literatura mundial, fez-me lembrar, por analogia das temáticas, sobretudo a 1a e 3a), o formidável livro de estreia, "gente pobre" (e também: "humilhados e ofendidos"), do gênio russo da literatura mundial e da raça humana, dostoiévski, meu escritor preferido... que massa!
    pois bem, mais um bom cult movie pra seleta conta, e, mais uma vez, agradeço por isso, caro moisés... à tarde, assistirei ao theco, "todos os bons companheiros", o qual promete muito... haja vista, a sinopse (a foto da capa e a região onde se passa a narrativa), me fez lembrar, também por analogia, claro, o formidavel livro do leste europeu, "o companheiro de viagem", do genial, escritor húngaro: gyula krúdy... maravilha! recomendo!

    ResponderExcluir

Não conte detalhes sobre a história e não ofenda os amiguinhos