-->

1 de mai. de 2016

291 - Sun Scarred (Taiyô no kizu)

Direção: Takashi Miike
Ano: 2006
País: Japão

Katayama está a caminho de casa quando tropeça em uma gangue de adolescentes espancando um sem-teto. Katamaya decide ajudar o estranho e surpreendentemente vence a luta. Ele começa a arrepender-se quando sua mulher e filha são seguidas um dia depois por um dos meninos nos quais ele bateu.

Link direto para o vídeo:
Parte única: https://vk.com/video226562015_456239058


6 comentários :

  1. Matar alguém é "normal"? A violência é "normal"? A lei é justa? Posso sem armas revoltar-me? O filme produz estas questões e nos questiona. Ressentimento. Sangue. Vingança. Afinal de contas quem é o culpado? quem é o herói? Humano demasiado humano. Mas, quais são os limites se é que eles existem.

    ResponderExcluir
  2. acabei de vê-lo (espetacular!), enfim, o japonês que salvou a honra do sempre sensacional, cult movie japonês, pois só hoje (manhã, tarde e noite), eu já havia assistido antes, meia hora do tal, "love & peace" (é divertido, mas não curti!), antes, mais meia hora do aclamado, "memories de matsuko" (estética visual linda, interessante roteiro, mas não me emocionou, até onde vi; mas, talvez dê uma chance a 2a parte, já que dizem ser a melhor, vai saber. rs), e, por fim, vi mais meia hora do outros: "dragão elétrico", "love exposure", os quais também não me emocionaram... porém, são apenas minhas impressões, claro. de modo que não são cult movies, para mim, só isso... o meu gênero é desse iradaço aqui, "sun scarred, o qual, com certeza, influenciou o outro irado, mas só que coreano, "eu vi o diabo". pode crer! pois é, no entanto, é importante tê-los aqui, como uma variedade de boas opções, pois há quem tenha gostado, e muitos outros curtirão, ainda... boa! gosto é algo subjetivo. bom gosto é algo raro e seletivo, sabemos... contudo, esse grande blog aqui, o qual eu já indiquei pra todos os meus amigos cult movies (e indicarei logo mais, à minha querida e notável, profa de francês, thaïs, cinéfila cult movie, ao responder um comentário dela, a profa thaïs, no canal "123 francês", sobre indicação de cult movies... maravilha! a profa adorarás saber desse "oasis" cinéfilo aqui... só pérolas raras!), esse blog formidável aqui; está sempre de parabéns, pela diversidade (em quantidade e, notadamente, qualidade) do seleto e ótimo acervo... adoro! pois bem, pra encerrar, grande moisés, aproveitarei a mensagem aqui, pra pedir uns cult movies, os quais eu, há tempos, quero assistir e eles... "amores expressos", "4:30 solidão a dois", de singapura, "the first grader", inglês, "não sou sou", japonês... ah, se tiver também, "assunto de família, do mestre kore-eda, poste, quando puder, por favor, pois este finde será pra mais cult movies do kore-eda, a começar pelo magistral, que eu já sei que é, por tudo que li e vi: "país & filhos", o qual tem aqui já, claro. bravo! ah, sim, por indicação da profa. thaïs, eu, ontem, assisti a mais dois bons cult movies franceses, pelo "youtube", os quais se tiveres aí, no genial acervo (e creio que tenha-os), pode postar, quando puder, pois serão apreciados: "nada a esconder" e, sobretudo, "hipócrates", o qual eu gostei demais.
    valeu demais, moisés, nobreza cult movie! rs.

    ResponderExcluir
  3. Moisés Giordano Mazza4 de julho de 2020 14:13

    Infelizmente minha fraqueza está em atender a esses pedidos de filmes, rs. Não tenho como fazer, sou muito desorganizado para ver, para baixar, então vou fazendo lista e com o tempo vou assistindo alguns, desistindo de outros. Então pode ser que apareça, eu comecei a respeitar muito suas indicações depois que assisti aquele Kauwboy; até baixei o Jestem também, mas ainda não vi. Então, é aquela coisa, uma hora aparece, ou não. rs

    ResponderExcluir
  4. Moisés Giordano Mazza4 de julho de 2020 14:17

    O filme que você indica aí realmente se chama "Não sou sou"? Não encontrei.

    ResponderExcluir
  5. falaí, grande moisés! bom dia! corrigindo: "nada sou sou", ou, "nada so so" (do título em japonês original). desculpe, tê-lo feito procurad pelo título errado... porém, o que eu mais queria ver era, "maundy thursday". pelo que li e vi, tem ressonância com o outro sensacional, "fôlego", do sempre irado, kim ki-duk... inclusive, se tiveres aí, "breath", poste-o, please... além claro, "amores expressos", o qual eu vi, no site "asiamovies", em inglês... cult movie da porra! foi-me apresentado por uma ex-namorada, a sra. "reticências (profa de literatura e artista plástica), a qual adora cinema, e para a qual, eu já indiquei este teu blog fenomenal... que massa! adorará, com certeza! aaah, antes que esqueça, ontem, fui assistir ao "birdcage Inn", do kim ki-duk, mas está sem a legenda... poxa, que pena! daí, fui curtir a noite de sábado, tomando umas "loiras geladas", e curtindo rock bom: the smiths, the cure etc e tal. boa! rs. (re)visistirei agora, "pais & filhos", o qual amei, pra variar. ah, sim, de tiver os outros dois geniais do mestre kore-eda, "depois da tempestade" e "assunto de família", disponibilize, quando puder... valeu demais, nobreza!

    ResponderExcluir
  6. caraaalho, já baixou o meu amado, "jestem"?! meu amigo, por favor, poste logo, logo, looongo esse cult movie excepcional, s'il tu plait! rs. se ganhei o teu seleto respeito (e fico feliz, com isso!), com o ótimo "kauwboy"; esse respeito, só aumentará com "jestem", eu te garanto, oxente! rs. faço o seguinte, sem nem ter assistido a ele, "jestem", eu farei este desafio: se nem teres assistido e ele, "jestem", por favor, poste-o, ainda mais recomendando, "você deveria ver", okay?! oquêi, tu verás os zilhões de feedback's apaixonados por esse extraordinário, cult movie polonês... justíssimo. quanta convicção, né?! pois é, nesse eu me garanto; aliás, o próprio cult movie, se garante em si, pois é magnífico! e não há exagero algum, no que digo... obra-prima, infelizmente, pouquíssima conhecida, ou, talvez, seja melhor assim... só prós cult's, cuja paixão pelo cinema de arte, iguais a mim, a ti, a sra. reticências etc e tal. é uma espécie de conto "kafkiano" (autoafirmação de uma criança pura, espirituosa, sensível e poética, nesse mundo cruel e desumano), esse amado cult movie, "jestem", o qual, foi "a" minha maior garimpada, em um ano em que tudo estava ruim, pra mim... esse cult movie (e que cult movie!), salvou meu terrível ano... obrigado, deuses da 7arte! rs. pois é, moisés, eu tenho tanto zelo e apreço por esse cult movie, "jestem"; quem nem indico a todo mundo... só aos cinéfilos sofisticados mesmos... cuja paixão especial pela 7arte, eu sinto, tão forte quanto a minha... pode crer! só pra ilustrar, eu indiquei-o, para uma culta e sensível, profa de literatura francesa aposentada, aqui da universidade federal, a qual amou... não podia ser diferente! impossível não entrar em conexão, com o coração (bondoso e sensível) daquele garoto... e que garoto! apaixonante, inesquecível... admirável! sempre há de ser. bravo! com todo meu respeito e admiração, kauwboy", pedirá a benção sempre, ao magistral, "jestem"... justo. rs. pois bem, não há mais o que dizer, sobre essa "pequena" obra de arte absoluta de resiliência, autoconhecimento, reflexão e humanidade, o qual tem o final (e que final: dolorosamente realístico, genial, impactante... inesquecível!), que tem o final mais genial do cinema moderno, com toda certeza. e pensar que, foi usado zero aparato tecnológico para isso, bastou só criatividade e muita sensibilidade introspectiva, muita mesmo! bravíssimo. pois bem, meu velho, agora, é contigo, pois estás com um "tesouro" cinéfilo de primária grandeza em mãos... saiba valorizá-lo, com o seu devido mérito! : )

    ResponderExcluir

Não conte detalhes sobre a história e não ofenda os amiguinhos