6 de jan de 2016

250 - Whisky

Direção: Juan Pablo Rebella, Pablo Stoll
Ano: 2004
País: Uruguai

Em Montevidéu vive Jacobo, um homem de 60 anos que vive sozinho desde a morte de sua mãe. Desde então sua única alegria na vida é a pequena fábrica de meias que possui. Marta é uma mulher de 48 anos que é o braço direito de Jacobo na fábrica, onde trabalha como supervisora. Marta e Jacobo possuem uma espécie de dependência mútua, apesar dos assuntos entre eles sempre ficarem em torno de trabalho. Até que um dia Herman, o irmão de Jacobo, avisa que irá a Montevidéu para participar da matzeiva, uma celebração judaica para a colocação da pedra do túmulo em até um ano após a morte de uma pessoa. Herman não vai a Montevidéu há mais de 20 anos, tendo faltado até mesmo ao funeral de sua mãe, sendo que também tem uma pequena fábrica de meias, localizada no Brasil. A visita de Herman desperta em Jacobo a velha competição existente entre os irmãos, que faz com que ele faça a Marta uma proposta inusitada...



https://openload.co/f/TIrpoT3ycnU/250_%5BFilmoteca_Online_-_www.filmotecaonline.com.br%5D.mp4.mp4

8 comentários :

  1. Uma situação dramática explicada com humor. Muito legal ver como as vidas distintas dos personagens interagem! Tem uma crítica em
    www.artigosdecinema.blogspot.com/2016/06/whisky.html

    ResponderExcluir
  2. José Orlando Terra de Oliveira9 de abril de 2017 19:39

    Excelente filme, embora um tanto melancólico....um fiel retrato da solidão na alma humana. Último filme de Juan Rebbella, morto precocemente em 2006 aos 30 e poucos anos.

    ResponderExcluir
  3. José Orlando Terra de Oliveira9 de abril de 2017 19:40

    Muito bom esse site/blog www.artigosdecinema, Alexandre Caetano.

    ResponderExcluir
  4. Sérgio Villa Matta1 de março de 2018 21:23

    Uma velha fábrica de meias. Vidas cinzentas, monótonas, tristes e repetitivas. Um filme sobre o amor: ou melhor a falta de. Tudo parece apenas se repetir indefinidamente imitando o movimento dos personagens q antes de viverem apenas agem mecanicamente. Falta-lhes o afeto, o carinho, a proximidade humana, a alegria q poderia iluminar suas existências vazias. Parece q a engrenagem dos afetos humanos necessita bem mais do q o óleo das máquinas para não emperrar. A solidão é o q aproxima e distancia os personagens, é ela q os ilumina e os dota de um carisma, de um poder de encantamento tremendamente humano.

    ResponderExcluir
  5. Filme melancólico sem ser triste. Quase dá pra sentir pena dos personagens algumas vezes, mas tem algo neles que não chega a despertar tal sentimento.

    ResponderExcluir
  6. Minha vida está chegando a esse nível, sem perspectiva alguma de melhora.

    ResponderExcluir

Não conte detalhes sobre a história e não ofenda os amiguinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...